top of page

Você tem esquecimentos?

    Alguns lapsos de memória podem ocorrer em qualquer idade, inclusive na adolescência, mas é mais comum entre os idosos, pois a própria idade pode levar a um processamento cognitivo mais lentificado.

  A perda de memória clinicamente significativa, tem diversas causas possíveis e sua investigação deve ocorrer de forma coerente.

Inicialmente deve-se avaliar alguns aspectos relevantes com relação a essa queixa, como por exemplo: se o paciente percebe seu déficit, ou se é uma queixa apenas dos familiares; qual foi a maneira de instalação daqueles sintomas, se de forma aguda ou se de forma mais lenta; se há piora no decorrer do tempo ou se os sintomas se mantem estáveis; se tal queixa provoca interferência no dia-a-dia do paciente (avaliando se houve abandono ou dificuldade em realizar alguma de suas atividades por causa da falha na memória); e se tem algum outro sintoma associado, como alterações no exame neurológico.

    Por vezes, o paciente possui a queixa, mas não necessariamente apresenta uma alteração objetiva na memória, por isso é importante realizar a avaliação cognitiva por exames específicos realizados no consultório.

     Nem todo paciente com queixa de memória possui Doença de Alzheimer ou qualquer outra doença neurodegenerativa.

     Por exemplo, pacientes com depressão podem ter tal queixa. Outros exemplos de possíveis causas de esquecimentos que sempre devem ser afastadas antes de se considerar uma doença neurodegenerativa são a deficiência de vitamina B12 e disfunção da tireóide. O paciente que não dorme bem, também pode, por dificuldade de concentração e desatenção, queixar-se de problemas com a memória.

 

   Portanto, não se desespere! Não é porque você tem queixa de esquecimentos que tem Doença de Alzheimer, cada caso é um caso! 

     E, caso tenha queixa de esquecimentos, procure um neurologista e ele irá abordar o seu caso individualmente da melhor maneira.  ;)

bottom of page